O que são?

São pellets (tabletes) de hormônios escolhidos de acordo com a necessidade do paciente para ser implantados por baixo da pele (subcutâneo) na região glútea e liberam hormônio de forma contínua na corrente sanguínea. Hoje são biologicamente degradável, portanto mais fisiológicos e liberam a quantidade diária de hormônio que nosso organismo necessita e não há necessidade de procedimento para retirada. Cada um contém uma doseque é  liberada diariamente na corrente sanguínea durante 4 a 6 meses.

Os implantes hormonais são chamados pela imprensa leiga de “chips da beleza” uma vez que as mulheres e homens que são implantados apresentam perda de peso gordo, ganho de massa muscular e diminuição da celulite, devido os efeitos anabolizantes de alguns deles. 

Para que servem?

Os implantes hormonais tem várias indicações:

-reposição hormonal em mulheres (climatério e menopausa) e em homens (andropausa)

-ovário policístico, 

-endometriose,  

-miomatose uterina

-fadiga crônica,

-estresse

-hipovitaminose D,

-hipotireoidismo, 

-osteoporose (perda óssea); 

-baixa libido;

-cólica

-enxaqueca da TPM (tensão pré-menstrual).

Através dos implantes hormonais podemos repor estradiol, testosterona e progesterona para as mulheres e testosterona para os homens, além de outros hormônios. Cada uma de acordo com exames e queixas.

O paciente recebe os hormônios e quantidades de acordo com a necessidade. Assim, cada pessoa tem a sua dose ideal. 

É extremamente necessário uma consulta médica acurada e exames laboratoriais, assim, não existe a possibilidade de ser implantando sem consulta médica.

Quem são as mulheres que devem colocar implantes hormonais?

Mulheres portadoras de endometriose, miomas, ovários policísticos, baixa libido, cólicas e enxaquecas da tensão pré-menstrual e como terapia hormonal para as que ultrapassaram os 40 anos e que estejam na transição menopáusica ou na pós-menopausa. Nesta fase, as mulheres apresentam uma série de sintomas, tais como: sintomas vasomotores (calores), dores articulares, formigamentos, dormência nas extremidades, aumento da gordura corporal, principalmente na região abdominal, perda de massa muscular e óssea, perda da libido (desejo sexual), depressão e distúrbios do sono.

Tais sintomas comprometem muito a qualidade de vida, e a capacidade produtiva das mulheres necessitando de intervenção médica. Considerando que as mulheres vivem em média mais de 70 anos, vão passar cerca de 2/3 de suas vidas vivendo mal e cabendo a medicina criar condições e implementar medidas terapêuticas que possam melhorar a vida delas.

Quem são os homens que devem colocar implantes hormonais?

Andropausa, uma analogia a menopausa dos homens. É também uma síndrome que compromete muito a qualidade de vida do homem, decorrente da diminuição da testosterona, que incluem perda da libido, disfunção erétil, redução da massa muscular e da força física, aumento da gordura corporal, perda óssea, diminuição da vitalidade e depressão.

Quais as vantagens do uso dos implantes?

É introduzir a medicação diretamente na corrente sanguínea. Dessa forma, as doses de hormônio são menores do que a dos hormônios dados pela boca, porque não passam pelo fígado nem pelo estômago. Não causam efeitos colaterais indesejáveis porque são bioidênticos.  Além disso, ele evita que as pessoas esqueçam de tomar a medicação, garantindo um resultado mais efetivo. É considerado uma opção moderna para a terapia hormonal e a anticoncepção, são seguros, eficientes e confiáveis.

Quais os efeitos colaterais?

Entre os efeitos colaterais negativos identificados nas usuárias dos implantes de testosterona e gestrinona, quando usados em altas doses, estão voz grossa, pele oleosa e aumento de pêlos devidos os efeitos anabolizantes dessas implantes. O estradiol se usado isolado em mulheres com útero podem determinar sangramentos. Mas a experiência e o conhecimento do médico com os implantes, minimiza muito esses efeitos.

Os efeitos benéficos são a melhora dos sintomas citados acima.

Para maiores informações marque uma consulta.